Os 20 anos do Acústico dos Titãs

O Acústico MTV é um verdadeiro marco para quem acompanhava o canal musical em meados dos anos 90.

Surgido no ano de 1989 como MTV Umplugged, na MTV Norte-Americana, o programa trouxe grandes artistas e bandas para fazerem shows em versões desplugadas.

A série ajudou no resgate e até na consolidação de muitos artistas e bandas. Acompanhei muitos desses acústicos nos anos 90.  Aerosmith, The Cure, Barão Vermelho, Legião Urbana, REM e Gilberto Gil são os primeiros que habitam minhas lembranças.

Já os mais marcantes e especiais são vários. Nirvana, Pearl Jam, Stone Temple Pilots, Kiss, Eric Clapton e Alice in Chains são os que guardo com carinho como os melhores estrangeiros.

No Brasil a lista de grandes acústicos é imensa: Os Paralamas do Sucesso, Gal Costa, Capital Inicial, Ira!, Kid Abelha, Marina Lima, Charlie Brown Jr, Jorge Ben Jor e Engenheiros do Hawaii, são os que acompanhei, e tenho como os grandes acústicos feitos pela MTV Brasil.

Mas o acústico que tenho mais carinho e lembrança completou 20 anos de lançamento neste ano de 2017.

Gravado no Teatro João Caetano no Rio de Janeiro entre 6 e 7 de março de 1997.O Acústico dos Titãs é um verdadeiro marco na carreira da banda. Recheado de grandes participações do calibre de Marisa Monte, Arnaldo Antunes (ex-Titãs), Fito Páez, Jimmy Cliff e Rita Lee, a banda resgata para o repertório grandes clássicos como Comida, Go Back, Família, O Pulso, Flores, Polícia, Homem Primata, Diversão e Bichos Escrotos, além das inéditas Os Cegos do Castelo cantada por Nando Reis, Nem 5 Minutos Guardados cantada por Sérgio Britto, Não Vou Lutar cantada por Paulo Miklos  e  A Melhor Forma cantada por Branco Mello. O grande single do acústico foi a música Pra Dizer Adeus, canção obscura do segundo disco da banda Televisão, lançado em 1985. Na versão do disco, a música é cantada por Nando Reis, já para o acústico foi feita uma nova versão, cantada por Paulo Miklos. Pra Dizer Adeus foi uma das músicas mais tocadas naquele ano de 1997. Os arranjos e releituras feito por Marcelo Fromer, Tony Bellotto e Charles Gavin, apoiado por Liminha (produtor) e uma orquestra enriquece consideravelmente as canções.

Meu acústico dos Titãs foi adquirido na icônica loja Mappin, da Praça Ramos de Azevedo no centro de São Paulo. É sem dúvida o acústico que mais escutei na vida. É um dos álbuns mais bem sucedidos da história da banda; sucede um período não tão próspero comercialmente, mas de álbuns bons como Tudo ao Mesmo Tempo Agora (1991), Titanomaquia (1993) e Domingo (1995). Inclusive entre as músicas dos três discos, apenas Hereditário do Titanomaquia, foi incluída no repertório do acústico.

Um disco histórico que retrata um momento de maturidade e lucidez de uma das maiores bandas de rock do Brasil de todos os tempos. Um acústico muito ouvido em 1997; que pouco mais de 20 anos depois ainda é obrigatório em qualquer toca CD, ou plataforma digital de música como Deezer, iTunes ou Spotify da vida.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s